Compartilhando

 



Nosso "Trabalho em Conjunto"

Há 11 anos realizamos os módulos de transição e a partir daquela época já começamos a colocar em prática aquilo que havíamos aprendido. Logo que surgiu o Módulo Infantil enviamos pessoas envolvidas com o trabalho infantil para se inteirarem de como a visão de célula se aplicava às crianças. Como a IPI Maanaim havia sido organizada recentemente, começamos uma longa jornada de estruturação em todas as áreas, inclusive no ministério infantil, como o chamávamos naquela ocasião. Portanto, a utilização do material do MIC para crianças já vem de quase uma década.

Crescemos juntos com as revistas, os temas e o aprimoramento que vem acontecendo a cada novo lançamento. Sempre julguei importante investir nas crianças, não concebia pensar que as crianças são a igreja do amanhã, e assim tem sido. Por isso, nosso desejo de utilizar todos os recursos e ferramentas disponibilizadas pelo MIC levou-nos a realizarmos workshops ministrados tanto para facilitadores do ministério infantil como para todos os facilitadores das células da igreja, com o propósito de capacitá-los; e ainda várias vezes contamos com a presença da Edile e Liane ministrando em nossos Acampamentos da Família.

Se eu fosse contar toda a trajetória tomaria muito tempo, mas quero chegar no momento que estamos vivendo hoje. Acompanhando as mudanças no MIC, como já falei, há dois anos decidimos também mudar o nome de "Ministério Infantil" para "Trabalho em Conjunto", compreendendo o princípio do tripé Lar + Célula + Igreja. Esse conceito é perfeito e bíblico em vários aspectos: a) Responsabilidade dos pais no discipulado dos filhos; b) Ministração por meio de princípios; c) Reforço e reafirmação do princípio ensinado nos diferentes contextos (lar, célula e igreja); d) Valorização da família. Isso tinha tudo a ver com a visão da Manaaim e com o valor que damos aos relacionamentos familiares e ao crescimento saudável da família.

O material do MIC para crianças tem sido de muito valor nessa caminhada, pois é elaborado dentro do conceito da visão de células, além de ser prático, didático e de qualidade teológica, já que a base das ministrações sempre são livros da Bíblia. Olhando para essa caminhada, como pastor, percebo claramente o quanto crescemos. Hoje temos uma equipe de facilitadores treinados, engajados, uma verdadeira equipe que tem uma visão de fazer desta geração uma geração apaixonada e comprometida por Jesus.

A cada ano somos desafiados a ampliar nossa esfera de ação para cooperarmos juntamente com as células para o crescimento da igreja. Uma estratégia que está mudando radicalmente o Trabalho em Conjunto neste ano são os encontros quinzenais que realizamos com todos os facilitadores. Nesses encontros tratamos desde a visão que temos como IPI Maanaim e o papel que o TC desempenha nessa visão até sonhos que temos para as crianças e juniores que estão sob nossa responsabilidade. Os resultados são visíveis e surpreendentes. Hoje podemos dizer que os facilitadores do TC são uma equipe comprometida, capacitada e coordenada para alcançarmos nossos alvos.

Preparamos antecipadamente o início de cada quadrimestre. Primeiro entregamos o material ao coordenador de cada faixa etária com antecedência para que possa se inteirar do seu conteúdo; depois reunimos coordenador e facilitadores da mesma faixa etária para planejamento do quadrimestre, aí definimos as atividades que irão compor o quadrimestre incentivando as crianças à participação.

Uma prática que temos feito há alguns anos é de realizar sempre uma abertura ao novo tema, ou seja, preparamos uma ministração específica que abranja todo o conteúdo. Então definimos um texto chave e uma música que marcará aquele tema. Entendemos que isso é bastante didático não somente para as crianças, mas contribui para que toda a igreja tome conhecimento do conteúdo que está sendo ministrado às crianças e juniores. Todos os domingos, nas celebrações, temos um momento do TC que separamos para informar e envolver a igreja no que está acontecendo.

Outra orientação muito importante que damos é que cada facilitador leia os livros da Bíblia em questão o maior número de vezes durante o quadrimestre para que tenha muita segurança no conteúdo a ser ministrado; e por fim, no encerramento do quadrimestre realizamos uma festa que mobiliza todo o TC e é uma ótima oportunidade para que as crianças convidem seu oikos, fechando assim o ciclo. Desta forma, damos ênfase ao tema durante todo o quadrimestre, desde a abertura, durante as ministrações nas 17 semanas e no encerramento.

Outra preocupação que temos como TC é a respeito do acompanhamento em relação à ministração de crianças e juniores na célula infantil. Em nossa estrutura, optamos pelas células de gerações integradas, ou seja, crianças e juniores participando juntamente com seus pais das células, e no momento da edificação sendo ministradas por um membro adulto no esquema de rodízio.

Aqui está outra experiência muito rica que podemos ter, ensinando e aprendendo com os pequenos. Como pastor geral da igreja, faço parte de uma célula facilitada pela minha esposa. Ali sou um membro como outro qualquer, e digo que não foi difícil para que as pessoas compreendessem isso. Desde sempre nossa célula conta com crianças de todas as idades e juniores, houve tempos em que nos reuníamos com 9 crianças. E como membro da célula, frequentemente sou designado pela facilitadora para ministrar as crianças, o que particularmente faço com muito prazer e alegria. Gosto de criar em cima do material proposto e adaptar as sugestões.

Lembro-me de uma ministração que falava sobre o sacrifício de Cristo simbolizado na ceia, e ali pude falar do significado da ceia e ministrar às crianças. Confesso que algumas vezes as crianças, na simplicidade e desejo de descoberta, fazem perguntas difíceis como uma criança, filha de uma família que se converteu há dois anos, em um dia que eu as estava ministrando me perguntou: - Pastor, se o diabo se arrepender ele vai ser perdoado? rsrsrs Imediatamente clamei a Deus por misericórdia! Acho que me saí bem...

Enfim, seriam muitas experiências a compartilhar. Mas o que posso dizer com certeza é que vale a pena! Acredito que o investimento nas famílias e especialmente nas crianças deve ser um dos propósitos da igreja, pois sabemos muito bem que a Igreja será o reflexo das famílias. Aqui na IPI Maanaim temos tido o grande privilégio de continuamente recebermos famílias completas (pais e filhos) por meio do batismo e aqueles que chegam à conversão por meio das células são logo desafiados a orar e testemunhar aos seus familiares. A célula se torna uma aliada nessa conspiração santa de ver a promessa: "Crê no Senhor Jesus e será salvo tu e a tua casa." se cumprir.

Quero encerrar este longo depoimento que estava há muito tempo "devendo" à Edile e ao MIC, agradecendo pela dedicação desta equipe que tem desenvolvido um excelente trabalho à igreja brasileira. "Portanto, queridos irmãos, continuem fortes e firmes. Continuem ocupados no trabalho do Senhor, pois vocês sabem que todo o seu esforço nesse trabalho sempre traz proveito." 1 Co 15.56

Pr. Reinaldo Montoza Briones
IPI Maanaim - Curitiba, PR

 

 




Todos os textos